Vídeo mostra como o coronavírus pode ficar suspenso no ar após espirro ou tosse

Com o uso de câmeras especiais capazes de captar imagem de partículas com 0,1 micrômetros de diâmetro (um fio de cabelo tem de 60 a 120 micrômetros), um experimento produzido pelo canal de TV japonês NHK World mostra a importância do uso de máscaras apropriadas e de se manter em ambientes arrejados como maneira de prevenção ao novo coronavírus.

O vídeo com pouco mais de 5 minutos de duração foi, inclusive, compartilhado pelo biológo e virologista brasileiro Átila Iamarino. Ele revela como micropartículas carregadas com potenciais cargas de vírus se espalham e permanecem por até 20 minutos em um ambiente fechado, seja  com uma simples espirro, tosse ou mesmo durante uma conversa normal e mais ainda quando se fala alto ou expiramos  o ar dos pulmão com mais força.

Na reportagem, o presidente da associação japonesa de doenças infecciosas, Kazuhiro Tateda, ressalta a importância de se manter os ambientes arejados para que essas micropartículas potencialmente contaminadas pelo novo coronavírus se dispersem com mais rapidez. 

No entanto, os cientistas pelo mundo ainda não chegaram a uma conclusão sobre o possível contágio do novo coronavírus em uma simples conversa entre duas pessoas, apesar de um recente estudo já ter sugerido isso.

Máscaras caseiras

Apesar de terem o uso indicado agora pelas autoridades de saúde no Brasil, as máscaras caseiras, por exemplo, não são capazes de evitar o contágio do coronavírus por micropartículas com tal espessura.

Como já dito pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, máscaras caseiras não são capazes de impedir o acesso de aerossóis a boca, nariz e olhos, mas sim de criar uma barreira mecânica contra perdigotos e gotículas mais densas de saliva reduzindo assim o risco de contágio, mesmo que em grau menor que o desejado.

Fonte: O Tempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *