Triângulo e Alto Paranaíba: há registros de dengue com 3 mortes em investigação.

Foi publicado nesta terça-feira (24), mais um boletim epidemiológico com os dados das doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti. Nos números referentes à dengue, Uberaba descartou 182 casos prováveis em comparação à divulgação da semana passada. Entre as cidades mais importantes do Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas Gerais, o município foi o único a ter casos de dengue descartados.

Já o número de óbitos por dengue não teve alteração de uma semana para outra. No estado, 17 mortes estão sob investigação, sendo três no Triângulo Mineiro: dois em Uberaba e 1 em Iturama. Na semana passada, o primeiro óbito pelo agravo da doença na região foi registrado em Carneirinho. O outro caso foi registrado em Medina, no Vale do Jequitinhonha.

Os dados utilizados na comparação feita pelo G1 são da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Veja mais abaixo sobre a dengue e dados sobre chikungunya e zika.

Dengue com sinais de alarme

De acordo com a SES-MG, é classificado como dengue com sinais de alarme todo caso de dengue que, no período após a febre, apresenta um ou mais sinais de alarme, que são dor abdominal intensa e contínua, ou dor a palpação do abdômen; vômitos persistentes; acumulação de líquidos (ascites, derrame pleural, pericárdico); sangramento de mucosas; letargia ou irritabilidade; hipotensão postural (lipotímia); hepatomegalia maior do que 2 cm; e aumento progressivo do hematócrito.

Nas regiões do Triângulo e Alto Paranaíba, há registros de dengue com sinais de alarme nas cidades de Araxá (3), Cachoeira Dourada (1), Centralina (1), Frutal (1), Ituiutaba (1), Iturama (1), Limeira do Oeste (1), Monte Alegre de Minas (3), Pirajuba (1), São Gotardo (2), Uberaba (2) e Uberlândia (10).

Situação das principais cidades

  • Uberlândia: a cidade continua em segundo no ranking de casos prováveis, com 859 casos. São 88 casos novos em relação ao último boletim, quando o município registrou 771 ocorrências. A incidência da doença na cidade é média.
  • Uberaba: apesar dos 182 casos prováveis descartados, a cidade ainda tem o maior número de ocorrências do Triângulo, são 920. Na última publicação, o município apresentava 1.102 casos prováveis de dengue. A incidência na cidade é média.
  • Ituiutaba: o município ocupa a terceira posição no ranking, com 677 registros prováveis. São 54 ocorrências a mais do que na semana passada, quando foram registrados 623 casos prováveis de dengue. A incidência da doença é muito alta.
  • Patos de Minas: no boletim divulgado nesta segunda-feira (23) a cidade tem 387 registros, sendo 37 casos novos em relação ao última publicação, quando o município teve 350 ocorrências. A incidência de dengue é média.
  • Araxá: a cidade tem 46 casos prováveis de dengue; na última semana, eram 37. A incidência é baixa.
  • Paracatu: o maior município do Noroeste de Minas registrou 30 novos casos prováveis de dengue. O novo boletim apontou 112 registros. Na semana passada, eram 82. A incidência passou de baixa para média.

Chikungunya

Sobre a Febre Chikungunya, foram registrados em Minas Gerais 646 casos prováveis da doença em 2020, sendo 11 em gestantes. Um óbito pela doença está em investigação em Campo Belo.

No ano passado, 2.776 casos prováveis de chikungunya foram registrados no estado e houve um óbito pela doença em Patos de Minas.

Zika

Com relação à Zika, neste ano, foram registrados 244 casos, sendo 26 em gestantes. Ituiutaba (5), Uberaba (1), e Uberlândia (1), são os municípios do Triângulo Mineiro com ocorrências da doença.

No estado, em 2019, foram 698 casos prováveis, sendo 158 em gestantes.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *