Alerta: Uberlândia tem nove casos confirmados de sarampo, segundo boletim epidemiológico de MG

Região

Nove casos de sarampo foram confirmados em Uberlândia nas últimas semanas, segundo o Boletim Epidemiológico divulgado nesta quinta-feira (5) pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Veja abaixo a situação de Uberaba e estadual.

  • Uberlândia tem caso investigado de sarampo que ‘provavelmente será confirmado’, aponta boletim da SES-MG

Uberlândia

De acordo com a SES-MG, estes casos em Uberlândia foram confirmados pelo critério clínico-epidemiológico, isto é, apresentaram sinais e sintomas característicos da doença e têm histórico de contato direto com o caso de sarampo confirmado.

A pasta também informou que todos os doentes fizeram exames laboratoriais preconizados pelo Ministério da Saúde, porém, os exames ainda não foram finalizados e continuam em processo de investigação laboratorial na Fundação Ezequiel Dias (Funed).

“O caso índice desta cadeia, ou seja, quem transmitiu a doença, é um trabalhador que realiza a manutenção de equipamentos de laboratório junto a estabelecimentos de saúde do Triângulo Mineiro e Sul de Minas, proveniente da cidade de Araras (SP) que foi confirmado laboratorialmente por RT-PCR realizado no Instituto Adolf Luz (SP)”, informou a SES-MG.

G1 entrou em contato com a Prefeitura de Uberlândia para mais informações sobre os casos e medidas adotadas e aguarda retorno.

Onde se vacinar em Uberlândia

As doses da vacina contra Tríplice Viral (que imuniza contra caxumba, rubéola e sarampo) estão disponíveis nas salas de vacinação da cidade, que ficam nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e em seis Unidades de Atendimento Integrado (UAIs).

As salas de vacina das UBS funcionam das 7h30 às 18h, enquanto nas Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF) o horário vai das 7h30 às 16h30. Nas Unidades de Atendimento Integrado (UAI), a vacinação ocorre das 8h às 20h.

Uberaba

Em Uberaba, nenhum caso suspeito foi notificado pela Secretaria Estadual de Saúde. Na cidade o destaque é a procura da vacina. Segundo divulgado pelo G1 na última semana, a procura pela imunização contra o sarampo aumentou cerca de 25% de julho para agosto.

Conforme dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), até o dia 28 de agosto foram aplicadas 1.551 doses da vacina Tríplice Viral no município; em julho foram 1.239 doses.

Dessas imunizações realizadas em agosto, 191 doses são da “dose zero”, voltada para as crianças de 6 meses a menores de 1 ano; outras 252 foram da primeira dose para a faixa etária de 12 meses; enquanto 246 crianças receberam a segunda dose, referente à faixa etária de 15 meses, conforme o calendário vacinal.

As 862 doses restantes foram aplicadas em pessoas que buscaram atualizar a caderneta de vacinação ou que vão viajar para áreas endêmicas do sarampo.

Minas Gerais

Desde o início de 2019, foram notificados 310 casos suspeitos de sarampo em 110 municípios no estado de Minas Gerais. Destes, 159 foram descartados, 138 estão sob investigação e 13 casos foram confirmados.

Dos 138 casos que estão em investigação, há sete que, segundo a SES-MG, muito provavelmente serão confirmados, sendo um deles em Uberlândia. Para ser confirmado, ainda é necessário percorrer etapas da investigação e protocolos que impedem esta classificação até o momento.

Os outros seis casos foram registrados em Itaúna, no Centro-Oeste de Minas; em Juiz de Fora e Viçosa, na Zona da Mata; em Jundiaí (SP), que foi atendido em Belo Horizonte; e em Passos e Pouso Alegre, no Sul de Minas. Os casos apresentaram sintomas compatíveis com a suspeita e tiveram contato com pessoas suspeitas ou residentes de cidades do estado de São Paulo.

“Vale ressaltar que em todos os casos suspeitos, o bloqueio vacinal foi realizado, contribuindo para a interrupção da cadeia de transmissão e não aparecimento de casos secundários”, ressaltou a SES-MG.

Brasil

O Ministério da Saúde anunciou na quarta-feira que os casos de sarampo no país totalizam 2.753 desde junho, quando um novo surto da doença teve início. Os estados de São Paulo e Pernambuco, juntos, registraram quatro mortes. Além disso, 98,37% dos casos (2.708) ocorreram no estado de São Paulo.

O ministério já enviou aos estados 1,6 milhão de doses extras da vacina contra sarampo e anunciou a compra de 28,7 milhões de doses adicionais, o que deve garantir o abastecimento do país até 2020, segundo a pasta.

Estima-se que 39.927.094 brasileiros não estejam vacinados contra o sarampo, conforme dados da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) e do Ministério da Saúde.

Segundo o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, o governo deve anunciar em breve, talvez já na próxima semana, uma nova estratégia de vacinação contra o sarampo. A proposta vem sendo definida com base nessa estimativa sobre brasileiros não vacinados.

Quem deve vacinar contra o sarampo?

  • Dose zero: devido ao aumento de casos de sarampo em alguns estados, todas as crianças de 6 meses a menores de 1 ano devem ser vacinadas (dose extra).
  • Primeira dose: crianças que completarem 12 meses (1 ano).
  • Segunda dose: aos 15 meses de idade, última dose por toda a vida.

Adulto deve se vacinar contra o sarampo?

Tomou apenas uma dose até os 29 anos de idade:

  • Se você tem entre 1 e 29 anos e recebeu apenas uma dose, recomenda-se completar o esquema vacinal com a segunda dose da vacina;
  • Quem comprova as duas doses da vacina do sarampo, não precisa se vacinar novamente.

Não tomou nenhuma dose, perdeu o cartão ou não se lembra?

  • De 1 a 29 anos: são necessárias duas doses;
  • De 30 a 49 anos: apenas uma dose.

Grávidas podem tomar a vacina contra o sarampo?

A vacina é contraindicada durante a gestação pois são produzidas com o vírus do sarampo vivo, apesar de atenuado. A gestação tende a diminuir a imunidade da mulher, o que deixa o sistema imunológico mais vulnerável e, por isso, a vacina pode desenvolver a doença ou complicações.

O recomendado pelo Ministério da Saúde é que a mulher que faça planos de engravidar tome todas as doses da vacina antes, podendo esta ser a tríplice ou a tetra viral, e mantenha toda a rotina prevista no Calendário Nacional de Vacinação atualizada, para se proteger e proteger o bebê.

Entenda o sarampo

Segundo a SES-MG, o sarampo é uma doença viral, infecciosa aguda, grave, transmissível, altamente contagiosa e comum na infância. Cursa inicialmente com febre, exantema (manchas avermelhadas que se distribuem de forma homogênea pelo corpo, com direção cabeça-membros), sintomas respiratórios e oculares.

No quadro clínico clássico as manifestações (além da presença de febre e exantema maculopapular) incluem tosse, rinorreia (rinite aguda), conjuntivite (olhos avermelhados), fotofobia (aversão à luz) e manchas de koplik (pequenos pontos esbranquiçados presentes na mucosa oral).

A transmissão ocorre de pessoa a pessoa por meio de secreções presentes na fala, tosse, espirros ou até mesmo respiração. Na presença de pessoas não imunizadas ou que nunca apresentaram sarampo, a doença pode manter-se em níveis endêmicos, produzindo epidemias recorrentes.

Saiba mais sobre o sarampo — Foto: Arte/G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *