Gado recuperado pela Operação ‘Free boi’ é restituído a produtores do Alto Paranaíba

Polícia

Proprietários reconheceram, nesta terça-feira (27), e conseguiram a restituição das cabeças de gado roubadas na semana passada em Rio Paranaíba. De acordo com a Polícia Civil o reconhecimento foi realizado no parque de exposições em Pratinha durante desdobramento da Operação “Free Boi”.

Na ação realizada na última semana em Rio Paranaíba, quatro pessoas foram presas. Um dos suspeitos foi liberado após pagar fiança. Três continuam detidos.

Segundo o delegado André Luís de Campos, mais de 100 cabeças de gado foram apreendidas na Operação que resultou na prisão dos suspeitos. O gado foi confinado no parque de exposições de Pratinha para que os proprietários fizessem o reconhecimento durante a tarde desta terça.

“Confinamos o gado apreendido no parque para facilitar que as vítimas tivessem oportunidade de reconhecer. Assim que a vítima reconhece o gado, a gente faz o processo de formalização de restituição. A vítima apresenta um documento provando que o gado é dela, faz o reconhecimento e, em seguida, ocorre a restituição ao proprietário”, explicou o processo.

Meses de investigação

Segundo os policiais, as investigações tiveram início logo após ocorrências de vários furtos de gado em fazendas situadas na região do Alto Paranaíba, mais especificamente nos municípios de Ibiá, Pratinha, Campos Altos e Rio Paranaíba.

A polícia explica que a quadrilha agia de madrugada e utilizava caminhonetes de pequeno porte para furtar de duas a três cabeças de gado bovino por vez das propriedades. Depois de várias diligências investigativas, a Polícia Civil conseguiu identificar um dos suspeitos do crime, o homem de 39 anos, que teve a prisão preventiva decretada pelo juiz da Comarca de Ibiá.

“Apreendemos mais de 100 cabeças de gado e, destas, 50 foram reconhecidas por proprietários de mais de sete cidades onde os furtos foram praticados. Ainda têm suspeitos para serem identificados”, reforçou.

O delegado explicou que um dos receptadores pagou fiança e foi liberado. As investigações continuam. Os investigados podem responder por furto, associação criminosa e receptação.

Por G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *