Coromandel exportou cerca de R$ 12 milhões em diamantes no ano passado

Por Danilo Gonçalo

O Relatório de Gestão do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) referente ao ano de 2016 mostra que Coromandel segue como um dos principais municípios para a extração e exportação de diamantes no Brasil, mas, em volume financeiro, ficou atrás de Abadia dos Dourados, que enviou ao exterior menos pedras preciosas no período.

De acordo com o relatório, Coromandel requisitou certificados de Kimberley (que garante a procedência regular dos diamantes para venda no mercado) para 11 pedras, sendo que uma foi vendida em conjunto com Patos de Minas, contabilizando 1.466,65 ct (quilates).

Com esses 11 certificados, Coromandel aparece em 1º lugar entre os municípios que mais pediram a garantia de procedência das pedras.

A produção coromandelense foi revendida para cinco países (Bélgica, China, Emirados Árabes Unidos, Estados Unidos e Israel) e rendeu aos mineradores quase 3,7 milhões de dólares, ou mais de R$ 12 milhões (usando como base a cotação do dólar nesta terça, com preço mínimo de R$ 3,30, similar à média da moeda no ano passado).

O valor representa cerca de 10% da movimentação financeira feita pelos garimpeiros que pediram o certificado ao DNPM em 2016. O órgão registrou que o montante referente às pedras registradas foi de 36,6 milhões de dólares.

Entretanto, Coromandel ‘ficou atrás’ de Abadia quando comparado o valor das pedras comercializadas. No ano passado, o município vizinho negociou dois diamantes, somando mais de 7,2 milhões de dólares (mais de 23 milhões de reais).

Somente com a pedra de maior preço, de 13,14 ct, Abadia amealhou 7.229.980 dólares, em venda realizada para comprador dos Emirados Árabes Unidos. Com outra, obteve 25 mil dólares.

O garimpo voltou a se tornar assunto em Coromandel com a liberação da atividade na região do Rio Douradinho, que deve levar cerca de 400 trabalhadores à caça de pedras preciosas.

Coromandel se destacou no cenário nacional e internacional por já ter ‘classificado’ 15 dentre os 20 maiores diamantes encontrados no Brasil.

O diamante Presidente Getúlio Vargas, encontrado em Coromandel 1938, foi considerado à época o quarto maior do mundo, pesando 726,6 quilates. Atualmente figura na sétima colocação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *