Vacinação contra a febre amarela ocorre até sexta nos postos de saúde de Coromandel

O prazo para vacinação contra a febre amarela foi ampliado até a próxima sexta-feira (2). Até a data, a imunização poderá ser realizada nos postos de saúde da região central, seguindo um cronograma de atendimento.

Nesta segunda-feira (29), a vacinação está disponível para os frequentadores da Unidade Básica de Saúde José Flávio Rodrigues, no Bairro Piteiras. Na terça-feira, a dose será realizada na UBS Coromandel, no bairro Santa Maria. Na quarta-feira, a vacina será aplicada na UBS Padre Lázaro Menezes, no Bairro Vila Branca; na quinta, na UBS Vicente Ferreira Borges, no Bairro Taquaril; e na sexta, na  UBS Dr Mário Dias Valadares, no Bairro Brasil Novo.

De acordo com o Ministério da Saúde, “a febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por vetores artrópodes, que possui dois ciclos epidemiológicos distintos de transmissão: silvestre e urbano. Reveste-se da maior importância epidemiológica por sua gravidade clínica e elevado potencial de disseminação em áreas urbanas infestadas por Aedes aegypti”.

Veja quem pode tomar a vacina

  • Pessoas acima de 60 anos deverão ser vacinadas somente se residirem ou forem se deslocar para áreas com transmissão ativa da febre amarela e que não tiverem alguma contraindicação para receber a vacina.
  • Gestantes (em qualquer período gestacional) e mulheres amamentando só deverão ser vacinadas se residirem em local próximo onde ocorreu a confirmação de circulação do vírus (epizootias, casos humanos e vetores na área afetada) e que não tiverem alguma contraindicação para receber a vacina.
  • Mulheres amamentando devem suspender o aleitamento materno por 10 dias após a vacinação e procurar um serviço de saúde para orientação e acompanhamento a fim de manter a produção do leite materno e garantir o retorno à lactação.
  • Pessoa vivendo com HIV/AIDS desde que não apresentem imunodeficiência grave (Contagem de LT-CD4+<200 células/mm3). Poderá ser utilizado o último exame de LT-CD4 (independente da data), desde que a carga viral atual (menos de seis meses) se mantenha indetectável.

Quem não deve tomar a vacina:

  • Pessoas com imunossupressão secundária à doença ou terapias.
  • Imunossupressoras (quimioterapia, radioterapia, corticoides em doses elevadas).
  • Pacientes em uso de medicações anti-metabólicas ou medicamentos modificadores do curso da doença (Infliximabe, Etanercepte, Golimumabe, Certolizumabe, Abatacept, Belimumabe, Ustequinumabe, Canaquinumabe, Tocilizumabe, Ritoximabe).
  • Transplantados e pacientes com doença oncológica em quimioterapia.
  • Pessoas que apresentaram reação de hipersensibilidade grave ou doença neurológica após dose prévia da vacina.
  • Pessoas com reação alérgica grave ao ovo.
  • Pacientes com história pregressa de doença do timo (miastenia gravis, timoma).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *