Prefeita de Coromandel vai a Uberlândia conhecer centro de vigilância por câmeras

A prefeita Dione Maria Peres esteve em Uberlândia nesta sexta-feira (3) para conhecer o sistema de vídeo monitoramento implantado no município e que pode servir de modelo para a instalação do serviço em Coromandel.

O projeto de instalação de câmeras nas ruas de Coromandel foi abraçado pela Prefeitura e foi idealizado pelo Conselho Comunitário de Segurança Públicas (Consep) e pela 98ª Companhia da Polícia Militar (PM).

Em Uberlândia, Dione e o vice-prefeito Juninho Nacif conheceram o Centro de Monitoramento do município, que foi implantado em 2008 e conta com 104 câmeras, ligadas ininterruptamente à central. O sistema é responsável pela redução de alguns crimes na área central e nas zonas quentes de criminalidade (ZQC) identificadas em vários bairros.

Leia Também: Dione cancela Carnaval de Coromandel para investir em merenda escolar e medicamentos

Leia Também: PM apreende adolescente de 14 anos envolvido com tráfico em Coromandel

De acordo com dados da PM, divulgados pelo portal G1, houve queda no número de ocorrências de roubo (21%) e de furtos (11%) nas áreas cobertas. Essa informação contrasta com a divulgada pela Prefeitura de Coromandel em sua página no Facebook, que afirma ter ocorrido uma redução de 90% nos crimes na cidade visitada.

O sistema de monitoramento de Uberlândia custou cerca de R$ 10 milhões aos cofres públicos e sua manutenção consome mais R$ 3 milhões por ano, segundo informações da PM repassadas ao jornal Correio de Uberlândia.

Em Coromandel, orçamentos preliminares realizados apontam para um custo inicial para implantação que gira em torno de R$ 200 mil.

Leia Também: PM prende traficantes e apreende drogas e armas na zona rural de Coromandel

O projeto de implantação conta com a atuação do comandante da 98ª Cia. da PM, Leonel da Silva Nunes. Na primeira sessão da Câmara Municipal, o militar solicitou apoio do poder público para obter verbas para o vídeo monitoramento em Coromandel.

O debate em torno da implantação ganhou força por causa do aumento da sensação de insegurança no começo deste ano, especialmente motivado pelo caso de vandalismo ocorrido no centro de Coromandel, em janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *