TAC obriga Prefeitura a exonerar funcionários temporários até julho de 2017

Danilo Gonçalo, de Coromandel

O compromisso de ajustamento de conduta (o TAC) assinado pelo prefeito Osmar Martins Borges, na última quarta-feira (14), com a Promotoria de Justiça de Coromandel, obriga a Prefeitura a exonerar todos os funcionários temporários até agosto de 2017 e realizar novos concursos para preencher vagas, em caso de necessidade.

O documento, ao qual o Jornal de Coromandel teve acesso, firma um acordo entre o Ministério Público e a Prefeitura para encerrar quatro ações judiciais contra o município e impõe regras para a contratação de servidores.

A cláusula primeira do acordo diz que “todas as pessoas que não ocupem cargo efetivo em virtude de aprovação em regular concurso público de provas ou provas e títulos […], ou seja, as que ocupam funções ou prestam serviços ao Município de Coromandel, mediante contrato temporário de prestação de serviço ou por qualquer ato precário, […] serão gradativamente exoneradas até 31/07/2017”.

LEIA TAMBÉM: Osmar assina TAC com Ministério Público que garante realização de concurso

LEIA TAMBÉM: Prefeita e vereadores eleitos são diplomados pela Justiça Eleitoral

O acordo prevê ainda que, se houver necessidade, os postos de trabalho deverão ser preenchidos por “servidores efetivos, devidamente submetidos e aprovados em concurso público de provas e título”.

O TAC prevê a possibilidade de manutenção de temporários em caso de contratos específicos, desde que não ultrapassem em seis meses a data estipulada na cláusula 1 e que o número de funcionários enquadrados nesse critério não se sobreponha em 5% ao total de servidores efetivos.

Descumprimento

O acordo assinado pela Prefeitura prevê multas em caso de descumprimento do compromisso.

Serão cobrados da Prefeitura R$ 500 por dia de descumprimento, mais R$ 5 mil por cada ser não exonerado.

Demissões em Massa

Após a derrota nas urnas, em outubro, o prefeito Osmar Martins Borges demitiu cerca de 400 funcionários contratados que não possuíam vínculo efetivo com o município, antecipando as exonerações exigidas pela Procuradoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *