Córrego Coromandel ficará livre de esgoto em até 5 meses

+Cidade Destaque Coromandel

Sonho antigo da população, a despoluição do Córrego Coromandel pode ocorrer em até 150 dias, segundo a construtora Ouro Verde, responsável pela obra de construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), equipamento este que irá acabar também com a poluição do Córrego Samambaia e tratar a água que corre por eles.

De acordo com o engenheiro Hudson Mundim Machado, o prazo de cinco meses é uma previsão baseada no cronograma de obras, que recomeçou no meio de março, com levantamento topográfico e início das fundações. “Se a Funasa não tivesse deixado de repassar os recursos, a gente já estaria inaugurando essa obra. A paralisação das atividades não é culpa da construtora, nem da Prefeitura”, defende Hudson.

Promessas antigas, as obras para limpeza dos córregos e construção da ETE ficaram paralisadas até agora por falta de repasse das verbas por parte da Fundação Nacional de Saúde (Funasa). Porém, em março, um depósito de aproximadamente R$ 1,5 milhão foi realizado pela entidade e repassado pela Prefeitura à construtora, permitindo o reinício. Outros R$ 736 mil foram repassados em seguida para dar continuidade ao projeto.

Segundo o prefeito Osmar Borges (PSDB), a obra atende aos pedidos da população e será de fundamental importância para garantir a qualidade de vida em Coromandel. “Nós teremos futuramente a capacidade de tratar o esgoto que caia no córrego Coromandel. Tratando o esgoto, não teremos mais aquele mau cheiro conhecido das imediações”, explicou.

Na primeira etapa, a construtora contratada pela Prefeitura realizou o trabalho de criar um sistema de interceptação do esgoto para transportá-lo à futura estação de tratamento, evitando que a poluição seja despejada no córrego. “Nas próximas etapas, após construir a ETE, nós vamos coletar e tratar o esgoto que cai no córrego Samambaia”.

A previsão é de que em até um ano, caso todas as verbas referentes à obra sejam repassadas pela Funasa, os dois córregos de Coromandel fiquem livres de esgoto. O total necessário para a execução desse serviço é de pouco mais de R$ 6,3 milhão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *